Você já ouviu falar que, apesar de saudável, a castanha do pará deve ser consumida em poucas quantidades? Essa recomendação é feita por conta do selênio, mineral abundante na oleaginosa que pode causar efeitos colaterais quando consumido em excesso.

No entanto, para quem segue a quantidade diária recomendada, o selênio se torna um grande aliado da saúde. Da prevenção de doenças à perda de peso, esse mineral se destaca por sua poderosa ação antioxidante. 

Mesmo em pequenas quantidades, o selênio faz uma diferença grande na saúde! Conheça mais sobre esse rico mineral e saiba qual a sua importância para o organismo.

O SELÊNIO TEM PODEROSA AÇÃO ANTIOXIDANTE

O selênio participa da construção da enzima antioxidante chamada glutationa peroxidase, que atua diretamente sobre o estresse do organismo e impede a formação excessiva de radicais livres. 

Graças a essa característica, o selênio é indicado para combater o envelhecimento precoce, doenças cardiovasculares e certos tipos de câncer.

O mineral também atua na prevenção de doenças neurodegenerativas porque preserva as sinapses contra o estresse oxidativo.

Doenças como o Mal de Alzheimer, por exemplo, tem como principal característica o comprometimento de diversas funções pelo estresse oxidativo. 

Nestes casos, o selênio desempenha papel fundamental como constituinte de enzimas antioxidantes e ajuda na preservação das funções cerebrais.

O SELÊNIO E A TIREOIDE

O selênio é fundamental para que algumas proteínas metabólicas desempenhem as suas funções como, por exemplo, as deionases que são fundamentais para o funcionamento da tireoide.

As deiodinases participam da produção dos hormônios da glândula, o T4 e o T3, garantindo o seu funcionamento pleno. 

A tireoide tem relação direta no humor e no peso corporal, sendo fundamental estar de olho na atividade dessa glândula para manter uma boa qualidade de vida.

ONDE ENCONTRAR SELÊNIO

Castanha-do-pará, trigo, arroz, gema de ovo, sementes de girassol e frango são alimentos que se destacam quanto à presença de selênio, mas há muitas outras fontes do mineral.

O selênio presente nos alimentos de origem animal é melhor absorvido pelo intestino em comparação com o selênio de origem vegetal, por isso é importante uma dieta variada para obter todos os benefícios do mineral.

Ainda sobre os alimentos de origem vegetal, vale destacar que o selênio é um mineral presente no solo. Ou seja, a concentração encontrada nos alimentos pode variar de acordo com a qualidade do solo onde se desenvolveram.

É PRECISO SUPLEMENTAR SELÊNIO?

A quantidade mínima diária recomendada para o selênio varia de acordo com fatores de idade e gênero. Gravidez, amamentação e obesidade exigem uma maior quantidade de selênio, mas, antes de investir em qualquer suplemento, é preciso consultar um profissional da saúde.

Como falamos no início do texto, o selênio em excesso pode ser perigoso! Além disso, as quantidades diárias recomendadas podem ser obtidas através de uma dieta balanceada.

No entanto, caso o seu médico identifique a necessidade de suplementar o mineral, através da manipulação a Magna oferece o selênio quelato. Nesse formato, o selênio é altamente biodisponível, melhorando a sua absorção e aproveitamento pelo organismo.

Além do aumento da biodisponibilidade, outra vantagem que a manipulação oferece em relação ao selênio é a combinação com outras vitaminas e minerais. Desse modo, é possível criar fórmulas que agem de maneira mais inteligente na manutenção do organismo.

Agora que você já conhece a importância do selênio, não deixe de conversar com o seu médico e se certificar de manter esse importante mineral na sua dieta!